---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Sucesso: VII Cocalfest recebe mais de 28 mil pessoas em cinco dias de festa

Publicado em 01/10/2019 às 07:35 - Atualizado em 01/10/2019 às 07:35

O Governo Municipal de Cocal do Sul brindou o sucesso da VII Cocalfest na noite deste domingo (29), ao encerrar com chave de ouro a programação que celebrou os 28 anos de emancipação do município. Durante os cinco dias de festa, o município recebeu cerca de 28 mil pessoas. Um número recorde de

público que consagra o evento como um dos melhores da região.  

 

Para o presidente da CCO e secretário de turismo, Juarez Fogaça, essa sem dúvida foi a melhor edição do evento. “Foi um sucesso total arrancado pelo show com o cantor Daniel, os shows locais e regionais que mostraram um grande potencial e trouxeram um público diferente. Tivemos ainda uma programação cultural que não deixou a desejar em nada. Uma festa bem organizada, estrutura, diversão para as crianças e uma gastronomia diversificada, com qualidade e preços acessíveis. Além disso, a palavra de ordem era o bom atendimento, gentileza, ambiente limpo e seguro. Tivemos a atuação das polícias civil e militar que nos ajudou e orientou. Não registramos nenhuma ocorrência no local da festa. Essa foi a melhor Cocalfest! Crescemos muito em todos os aspectos graças a todos os envolvidos e a contribuição de cada Sul-cocalense ao acreditar no formato desta festa.

Não tem mais volta. Para o ano que vem muitas novidades”, enalteceu.

 

Para o prefeito Ademir Maganin Ademir Magagnin a VII Cocalfest atingiu todas as expectativas. “Nós realizamos uma festa muito bem programada, o tempo colaborou e público veio prestigiar. A satisfação foi geral. As pessoas divertiram, comeram, beberam, prestigiaram nossas exposições, talentos e eventos culturais. Toda a cidade ganha com uma festa deste porte. A economia gerada fica no município e nos últimos dias a movimentação no comércio e outros estabelecimentos foi percebida. Essa foi a maior de todas as nossas festas. Muito obrigado e todos pela confiança”, avaliou.

  

O recorde de público foi na abertura do evento com o show nacional com Daniel que atraiu cerca de 10 mil pessoas. As noites também foram marcadas pelos show nacional com o sertanejo de Mayk e Rey, os regionais com Marília Dutra e Evandro Lins e as apresentações de 15 bandas locais.

  

O encerramento da festa ocorreu neste domingo (29), com o melhor som gaúcho, o show nacional com Chiquito e Bordoneio que reuniu mais de 2 mil pessoas.

 

 Confira abaixo nossas atrações culturais e o ponto alto da festa,, a

Gastronomia:

 

 - GASTRONOMIA

 

Superando todas as expectativas, a VII Cocalfest atingiu o melhor número de vendas de todos os itens da gastronomia da VII Cocalfest. O diferencial é a qualidade e o preço acessível. As opções variam entre R$ 3 reais a R$ 20,00 reais, além do almoço típico italiano no domingo (29) com preço livre de R$ 35,00 ou à quilo.

 

“Vejo um avanço muito grande ano a ano com a comida sendo aprimorada e com o lançamento de novos pratos. Tudo muito gostoso”, salienta Ana Domingos.

 

Durante os cinco dias de festa foram vendidos mais de 31 mil tickets de porções e bebidas. Dentre os lanches mais procurados, o crepe foi sucesso de vendas. Foram mais de 1 mil unidades vendidas. Na Bebida, o Chopp Vêneto, oficial do evento, chegou a quase 4 mil litros, além de 1 mil copos de caipirinha de vinho.

 

 parte da gastronomia foi  preparada por 15 entidades e associações parceiras e envolve centenas de pessoas. Todo lucro é revertido para ações, serviços e obras que beneficiam a comunidade e projetos sociais. 

 

O Lions Clube superou as vendas da última edição logo nos primeiros três dias de festa. “Nós vendemos uma média de 300 copos de caipira e 50 pratos de nhoque por dia. Estamos muito satisfeitos em participar e reverter esse lucro em ações sociais. A festa é muito organizada e nos dá essa oportunidade sem custo. Somos muito gratos por isso. Queremos a cada contribuir com o nosso melhor”, avalia o presidente da entidade, Sérgio Ruzza.

 

A culinária italiana é um dos diferenciais. O Círculo Italiano de Cocal do Sul ofereceu porções de penne com três opções de molho: quatro queijos, bolonhesa e ao funghi com lascas de alcatra. Mais de 300 pratos foram vendidos e 400 almoços no domingo, com um completo buffet italiano, com massas, polenta, saladas, galeto, costelinha suína e risoto.

 

“Essa foi a nossa melhor edição. Estamos nos superando a cada ano e o público nos dá um feedback muito positivo. Nossos pratos são saborosos e cumprimos o nosso papel de elevar a nossa cultura italiana por meio da gastronomia para toda a população”, enalteceu o presidente do Círculo, Orlei Sartor.

 

 

O filé de tilápia é outro prato que conquistou o paladar dos visitantes.

Feito pela Associação de Moradores Jardim das Palmeiras, 550 porções foram vendidas. O prato também é um diferencial para quem tem problemas com glúten e lactose.

 

“Muito bom participar de uma festa onde nós podemos comer tranquilos, bem acomodados e poder apreciar um peixe bem preparado. Esse filé de tilápia foi o melhor que já comi. Ele é sequinho e possui volume, não é gorduroso e tem um tempero especial. Fantástico”, disse Adilson Ribeiro.

 

As associações e entidades participantes foram: Círculo Italiano, Lions Clube, Grupo de Escoteiros, Boa Vista, Jardim Das Palmeiras,  Grupo de Escoteiros Abdalla,  Capela Nossa Senhora Aparecida, Conselho Comunitário Jardim das Palmeiras, Cristo Rei, Vila Nova, Apae, CDL, Conselho Comunitário Fernando De Fáveri, ONG Abraça Cocal e Guanabara.

 

 ATRAÇÕES CULTURAIS

 

- Festival da Canção evidencia a cultura do canto italiano

 

O belo cenário da VII Cocalfest foi o ambiente perfeito para cultuar a música trazida pelos imigrantes, vividas pelos colonizadores e resgatada pelos corais italianos da região. Neste domingo, 29, Cocal do Sul realizou o XIV Festival da Canção Italiana e reuniu 150 vozes em uma sintonia de amor e valorização da cultura. 

 

No palco, um verdadeiro resgate na voz de coralistas que além de cantar, encenaram cânticos. O Encontro é organizado pelo Círculo Italiano de Cocal do Sul. Para o presidente da Associação, José Orlei Sartor o evento emocionou e levou o público à grandes recordações. “Nós ouvimos canções centenárias e muitas pessoas que prestigiavam o evento relembraram das canções que eram cantadas pelos nonos em casa e nas festas de família.

Superou todas as nossas expectativas”, ressaltou.

 

Para a visitante, Dailani Zanette de Oliveira o Festival é um show à parte.

“A cada ano a gente vive mais intensamente esse resgate da cultura italiana por meio da Cocalfest. Eu trago sempre minha filha para que ela cresça com esse conhecimento cultural e crie raízes e, quem sabe, também tenha interesse em participar e cultivar esse belo trabalho”, afirmou.

 

Dez corais participaram do Festival: Associação Bellunesi nel Mondo (Siderópolis), Serenata d'Amore (Cocal do Sul), Grupo Fratelli Furlan (Cocal do Sul), Grupo Và Pensiero (Morro da Fumaça), Coral Municipal de Tubarão, Grupo Stelle Alpine (Orleans), Peregrinos da Montanha (Nova Veneza), Grupo Ricordi d'Italia (Tubarão), Eco di Venezia (Nova Veneza) e Cantando Si Va (Urussanga). Cada um se apresentou com três músicas. Ao final, cada um deles recebeu uma lembrança do município e medalhas de participação entregues pelas autoridades presentes.

 

 - Torneio de mora resgata tradição de imigrantes italianos

 

O último dia da VII Cocalfest, domingo (29), foi dedicado ao resgata e valorização da cultura italiana. As atrações iniciaram cedo, com o Torneio de Mora de Cocal do Sul. O esporte de origem Vêneta contou com a participação de quatro jogadores.

 

Quem passava pelo pavilhão do Centro de Eventos, no bairro Jardim Itália, logo parava para acompanhar as fortes batidas na mesa que fazem parte de um conjunto de estratégias. O jogo exige grande agilidade manual, reflexos apurados e grande atenção e vivacidade mental, entre o veloz movimento dos dedos e a incessante pronúncia dos números.

 

O jovem Edenilson B. Rosa, 17 anos, acompanhou do início ao fim. “Eu não conhecia e fiquei com muita vontade de aprender. Ele resgata uma tradição e tem muito do raciocínio de matemática. Exige conhecimento e rapidez. Estão de parabéns”, observou.

 

O nome, mora significa “morra”. O jogo se resume em acertar o número do conjunto de dedos da mão que os contendores sucessivamente apresentam sobre uma mesa, batendo os dedos sobre ela. É preciso muita agilidade manual e reflexo.  O Torneio foi coordenado por Antônio Fachin. A dupla vencedora foi Agenor Scarpato e Jucinei Scarpato.

 

Cocal do Sul é um dos poucos que cultivam a tradição da mora. A família Scarpato, de Rio Comprudente é a referência, inclusive já participaram de um projeto na rede municipal para ensinar para as crianças o esporte.

 

Durante a manhã também teve a participação dos alunos do projeto Jogos de Mesa e o trunfo.

 

 - Olimpíada Colonial

 

A superação faz parte do cotidiano de cada desafio, e na III Olimpíada Colonial de Cocal do Sul, não foi diferente. De um lado a torcida organizada de cada grupo, do outro a expectativa e tensão para fazer tudo no melhor tempo, acerto e habilidade. Os idosos superam suas limitações e se consagraram campeões. Assim foi o evento que integra a VII Cocalfest que reuniu na tarde desta sábado (28), centenas de idosos e visitantes, no Centro de Eventos, no bairro Jardim Itália.

As equipes foram divididas em cores e os participantes disputaram a corrida de carriola (mulheres), arremesso de tora, arremesso do milho, bocha do 48, corrida do ovo na colher, prova da caneta, topeador, debulhando milho, provas da Bicicleta Retardatária e relâmpago.

 

Para a idosa de 78 anos, Zilma M. Floriano a atividade é um remédio para a terceira idade. “Esporte é vida. Isso tem que ter sempre. É fantástico viver essa integração, gritar, torcer, ganhar e perder. Tudo vale e tudo nos leva a felicidade”, afirmou.

O prefeito Ademir Magagnin e a vice-prefeita Cirlene Gonçalves Scarpato também aceitaram o desafio e entre uma prova e outra realizaram o teste das atividades. “O evento é especial, motivador, alegre e contagiante. Haja energia, eles nos dão um banho de agilidade. Todos vibraram juntos e nossa terceira idade está de parabéns. Sem contar no que essa olimpíada representa. Além de ser esportiva, é cultural e resgata nossas origens. Um município precisa cada vez incentivar essas práticas e unir as pessoas para que participem e vivam a sua comunidade. Parabéns a toda equipe do esporte e da assistência social por esse belo evento”, ressaltaram.

 

A Olimpíada é uma realização do Governo Municipal por meio do Departamento Municipal de Esportes e secretarias de Assistência Social e Educação. As provas foram  conduzidas e organizadas pelos professores Mateus Cechinel, Jean Reis, Elezi dos Santos, Fabricio Demetrio, Jenivaldo Marques (Vado), Luiz Boava, Guilherme Fretta e Alexsandro Montini e Adriana.  Todos os desafios valorizaram o produtor rural e a cultura local por meio de atividades do dia a dia com muita diversão e regate.

 

“Foi ótimo. Eu contava os dias para participar. Tudo isso me lembra da infância.  Eu trabalhei na roça desde os 7 anos, e ajudava a serrar tora, debulhar milho... Tenho muita saudade deste tempo que hoje pude relembrar.

No grupo da terceira idade a gente vira criança de novo e tem oportunidades como essas de recordar e viver o passado”, afirmou  a participante, Paulina F. De Moraes.

 

Para quem observava de longe, a diversão também era completa. “É muito curioso e emocionante. Eles são muito animados e me diverti muito também.

Parabéns por esse momento de resgate e valorização à organização. Tudo o que vimos realmente era uma prática dos nossos antepassados”, afirmou a jovem Rafaela Medeiros. 

 

Ao final da competição, a organização premiou as equipes vencedoras. Em primeiro lugar ficou a equipe azul, seguido das laranja e verde em segundo e terceiro, respectivamente.  Além disso, o Governo Municipal homenageou com um troféu os idosos presentes com maior idade de cada grupo participante. 

 

 - EXPOSIÇÕES

 

Em cada detalhe, o capricho e amor de milhares de mulheres que se dedicam à arte do artesanato. Durante a VII Cocalfest é possível admirar e ainda levar para casa uma variedade de peças produzidas manualmente para a XIII Expoarte. O público pode conferir ainda o projeto Mulheres Artesãs da Coopercocal que traz produções exclusivas.

 

Neste ano, os 26 grupos de mulheres coordenados pela Secretaria de Assistência Social apresentaram os trabalhos em linho português. São mais de

3 mil peças feitas com a riqueza de detalhes de bordados livres e bainhas abertas presentes em toalhas de louça, café, trilhos de mesa, além de lindas almofadas confeccionadas com linho madeira.

 

“Realmente um trabalho que merece a nossa admiração, carinho e valorização.

Essas mulheres são artistas e é muito difícil de escolher entre uma peça e outra”, afirmou a visitante Lena Bittencourt.

 

 

Milhares de pessoal já visitaram o espaço, entre elas primeiras-damas dos municípios vizinhos, visitantes de Treviso, Forquilhinha, Morro da Fumaça, Lauro Müller, Urussanga, Nova Veneza e Criciúma. A recepção é realizada pelas monitoras, líderes e mulheres que participam dos grupos. Trabalho também acompanhado pela secretária de Assistência Social, Ângela Mendes Anjo, vice-prefeita, Cirlene Gonçalves Scarpato,  primeira-dama, Maria de Fátima Dajori Magagnin e coordenadora dos grupos, Lourdete Cechinel Maccari.

 

 

“Nós preparamos tudo com muita dedicação. A Expoarte é uma vitrine para os trabalhos das 700 mulheres que participam dos nossos grupos. É um orgulho para nós ver a paixão que elas têm pelo artesanato e vê-lo apresentado para toda a região”, frisa a Secretária Ângela.

 

A exposição de centenas de itens de artesanato sustentável das Mulheres Artesãs da Coopercocal também faz o maior sucesso. A empresária, Kelen Conti Eyng, de Forquilhinha garantiu o presente criativo para as duas afilhadas.

“Eu fiquei encantada com tanto capricho, criatividade, beleza e praticidade das peças. Dá para levar para a casa toda. Eu me apaixonei pelas ratazanas.

Estou levando duas peças que servirão de guarda pijamas. As roupas são colocadas na barriga do bichinho, deixando o quarto organizado e, ainda, servindo de decoração em cima da cama. É lindo”, declarou.

As Exposições seguem até domingo, 29, durante todo o dia na programação da VII Cocalfest.

 

  - FESTIVAL DE DANÇA

 

 Com o tema “Dançar é Show", mais de 500 bailarinos expressaram movimento, leveza, arte e cultura durante o 25º Festival de Dança, que abrilhantou a VII Cocalfest nas noites de quinta e sexta-feira (26 e 27).  Ao todo foram

35 danças em ritmos variados, estilo diferenciados e balé clássico. Os dançarinos representaram todas as escolas de educação infantil, Apae, idosos, haitianos e escola de ballet.

 

“É muito lindo ver meu filho dançar e gostar tanto. Dançar é uma arte. O Festival de Dança de Cocal do Sul é um diferencial. Sempre muito bem organizado e de uma qualidade, criatividade e técnica que nos enche os olhos”, destaca a mãe, Ana Maria.

 

Ao final de cada apresentação, autoridades presentes realizam a entrega do troféu alusivo ao 25º Festival de Dança as professoras coreógrafas.

 

“Quando se fala em dança, estamos destacando a arte que mais integra, pois precisa de música e teatro. Esse é um momento único que une famílias inteiras, que encanta pelo vigor do corpo, que imita a vida. Cultura e educação precisam caminhar juntas para que talentos possam ser motivados e a desenvoltura praticada. Todos estão de parabéns pelo belo espetáculo”, avaliam o prefeito Ademir Magagnin e a vice-prefeita, Cirlene Gonçalves Scarpato.

 

A secretária de Educação, Esporte e Cultura, Ana Paula Teixeira Cechinel afirma que este espaço alegra e eleva a cultura, envolve os alunos, crianças e integra toda a família. “O Festival de Dança tem o objetivo de incentivar e promover a cultura através da dança. É fantástico. Nossa equipe, professores, diretoras e alunos merecem os parabéns pelo empenho e dedicação”, salienta a secretária de Educação, Esporte e Cultura, Ana Paula Teixeira Cechinel.

 

 

- Atração Infantil 

 

A tarde de domingo (29) da VII Cocalfest foi marcada por uma programação especial para as crianças. Os personagens infantis mais tradicionais do cinema marcaram presença no palco da VII Cocalfest, em Cocal do Sul. O espetáculo O Fantástico Mundo Disney atraiu mais de 1 mil crianças. Mickey Mouse e Minnie Mouse apresentam a produção musical, que conta com canções originais de nove princesas de alguns dos filmes mais atuais da Disney.

 

“Foi muito legal. Minha princesa favorita estava ali. Eram muitas. Eu parecia estar na Disney”, afirmou encantada a pequena Lívia Beloli Pagnan, 6 anos.

 

O público voou junto com a fada Tinker Bell e se encantou com Bela, uma princesa muito corajosa. Também reviu a princesa Anna de Arendell. Em cena, também apareceu Jasmine, a filha de um Sultão que se apaixona pelo plebeu Aladdin e a sereia chamada Ariel, que adorava explorar o seu lar com seu amigo Linguado, a bela jovem Cinderela e sua fada madrinha, além da primeira princesa da Disney, Branca de Neve. No palco também Rapunzel, Moana, a participação de Olaf, o boneco de neve mais divertido do cinema, além do xerife Wood e da vaqueira Jessie.

 

“Eu vi a princesa que eu mais amo de pertinho. A sereia Ariel estava linda.

Foi muito legal. Eu me senti uma princesa de verdade junto com ela”, declarou Maria Eduarda Alves Rabelo, 7 anos.

Para a mãe Lidiane Alves esse é um momento que encanta toda a família. “É muito bom ver a alegria das crianças. A Cocalfest está de parabéns por trazer todos os anos uma atração infantil. Essa é a terceira vez que eu venho. Desta forma a gente também participa da festa como um todo”, ressaltou. 

 

Além de oferecer a experiência de assistir aos clássicos do cinema infantil ao vivo, uma área com brinquedos infláveis concentrou centenas de crianças para uma tarde divertida.

 

 


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar