Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Aplicação da técnica de auriculoterapia em pacientes acamados de Cocal do Sul é apresentado durante Congresso em São Paulo

Publicado em 05/12/2019 às 13:45 - Atualizado em 05/12/2019 às 13:45

A eficácia da aplicação da técnica de auriculoterapia em Cocal do Sul, como prática integrativa e complementar, foi destaque em um dos maiores congressos de cuidados paliativos do Brasil.

 

O trabalho desenvolvido em Cocal do Sul que leva a aplicação da técnica de auriculoterapia às pessoas acamadas e seus cuidadores foi destaque durante o II Congresso Paulista de Cuidados Paliativos. O projeto desenvolvido pela Secretaria de Saúde por meio da fisioterapeuta, Juliana Cardoso Rodrigues foi um dos 270 selecionados em todo o Brasil.  O evento ocorreu entre os dias 28 e 30 de novembro,em São Paulo. Eleteve como tema “Ampliar o Acesso e Garantir a Qualidade” e contou com a participação de alguns dos principais paliativistas nacionais e internacionais.

 

Durante o Congresso a fisioterapeuta apresentou os resultados obtidos em seus pacientes, benefícios e a eficácia das Práticas Integrativas e Complementares (PICs).

 

“Foi muito gratificante comprovar os resultados de um trabalho de mais de um ano.  O projeto foi muito bem avaliado durante o Congresso e questionado. Isso tudo nos motiva, pois estamos lidando com uma prática alternativa, que não utiliza nenhum tipo de medicação. E o mais importante é poder provar que isso dá certo. A técnica trouxe como principais benefícios relatados por pacientes acamados e seus cuidadores, o alívio de dores, relaxamento muscular, melhora do sono/insônia, diminuição da dispneia (falta de ar), melhora dos sintomas depressivos, controle da ansiedade, além da diminuição do número de cigarros fumados pelos cuidadores. Com base nesta melhoria, hoje a Secretaria de Saúde possui um olhar diferenciado e expandiu o atendimento”, descreve Juliana.

 

A fisioterapeuta iniciou o trabalho em 2018, após uma capacitação através do Ministério da Saúde em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina. Ela é responsável pelos atendimentos domiciliares de pacientes acamados, bem como, de seus cuidadores. Eles foram os primeiros a receber os benefícios da auriculoterapia no serviço público.

 

A técnica não tem contraindicações ou efeitos colaterais.  Ela atua no tratamento de qualquer dor ou disfunção corporal, através da estimulação de pontos específicos do pavilhão auricular. A auriculoterapia pode ser um tratamento ou funcionar como um complemento ao tratamento que o paciente já realiza.

 

Em 2019, a Secretaria de Saúde com o objetivo de ampliar a prevenção e promover mais saúde para a comunidade capacitou uma equipe de cinco profissionais em auriculoterapia. Eles atuam nas Unidades de Saúde e Caps, dentre eles: enfermeiros, médica, terapeuta ocupacional e dentista. Cada um exerce o trabalho de acordo com as demandas e necessidades de cada indivíduo. Esse recurso terapêutico da medicina tradicional chinesa é disponibilizado de forma gratuita pelo SUS. As pessoas interessadas em realizar a auriculoterapia devem procurar pela sua Unidade Saúde.

 

Conforme a Secretária de Saúde, Sinara Crippa Milanez em cada momento, as práticas alternativas vêm crescendo no município, região e país. “Esta é uma belíssima opção, pois trabalha muito mais com a prevenção à ação medicamentosa. Foi uma alegria muito grande saber que Cocal pode estar representada neste Congresso tão importante. Parabenizo o trabalho de cada profissional, principalmente a Juliana que iniciou esta prática e a faz brilhantemente junto aos nossos acamados e cuidadores”, concluí.

 

 

Benefícios da Auriculoterapia:

  • Melhora das queixas álgicas, principalmente relacionadas às: dores na coluna, dores de cabeça (cefaléias e enxaquecas), dores em membros (tendinites, artroses);
  • Melhora do sono, da insônia;
  • Melhora da dispnéia (falta de ar) em paciente com dpoc;
  • Diminuição da ansiedade;
  • Melhora de processos depressivos;
  • Diminuição do uso de medicamentos para dores em geral;
  • Diminuição do número de cigarros fumados (nos fumantes atendidos);
  • Melhora do bem estar, da disposição.

 


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar